quarta-feira, dezembro 20, 2006

Presente ou ausente?

Final de ano é sempre a mesma correria, todo mundo querendo sair mais cedo do trabalho pra comprar presentes, correr atrás dos preparativos da ceia do dia 24... As ruas de SP estão um inferno por conta dos retardatários. Demorei uma cacetada de tempo pra chegar ao escritório e tudo por causa do trânsito, pois no caminho há um shopping.

Mas como esse será o Natal dos "Sem Presentes" eu tô tranqülia e só comprei presente pra minha mãe e para uma pessoa muito especial, muito amada e querida, que sempre fica ao meu lado e o presente eu até já entreguei porque queria demais compartilhar aquele momento com essa pessoa. Não pelo valor material do presente, mas pelo que representa, pelo que nos faz lembrar.

Minha mãe comprou presentes pra minha sobrinha, e para os filhos do William, meu caro amigo, que está colocando a minha casa abaixo, com uma mega-reforma.

Ah, e tem também o fato de eu não ter namorado, o que faz uma grande diferença! Ter que comprar presentes pra uma família inteira só pra dizer que você se importa com todos eles é demais. Suas palavras não bastam, você não pode chegar de mãos abanando. A sogra então, tem que ganhar um ou mais presentes e não ando muito a fim de encarar toda essa lenga-lenga de fim de ano. À merda com toda essa hipocrisia!

Nem preciso falar que esse é o meu momento.

Talvez eu compre um presente pra minha irmã, não sei. Tô com receio de comprar algo pra ela, porque nunca acerto o gosto. É uma merda e, pelo jeito dela, me incomoda ainda mais não acertar porque é só ela abrir a embalagem pra eu ouvir "ah, mas não tinha de outra cor?" ou então "ah, mas eu não uso jaqueta toda fechada!" ou pior "você vai ficar brava se eu for lá trocar?". Perco todo o tesão de dar presente pra minha irmã e, caso decida por dar algo, nem sei o que vou comprar.


Bom, eu ganhei um monte de presente, todos adiantados. Ganhei tanta coisa que tenho até vergonha de contar. Entre tantas coisas ganhei um corpo mais magro, saúde física e mental e paz de espírito.

Então, acho que vou desencanar, curtir bastante a reforma e meus presentes, afinal foram tantos, e eles continuam chegando. Que continuem vindo.

No final das contas, quando se tem saúde e a mente permanece ocupada, o bolso parece mais cheio e a vida parece mais leve. Ou será que de fato não o são?

Um comentário:

  1. Florzinha! To passando por aqui pra desejar feliz natal! E que 2007 seja "ducaralho"!!!

    Bitocas!

    Mira

    ResponderExcluir