segunda-feira, novembro 08, 2004

BIENAL

Domingão fui a 26ª Bienal de Artes de São Paulo... que coisa mais bizarra!!!

A intenção da entrada a Bienal ser gratuita é para a democratização da arte... veja bem que ARTE??
São 135 artistas sendo que o trabalho de meia dúzia valha a pena ver, o resto é surto psicótico pelo uso de alucinógenos durante a vida toda!
Poderia muito bem passar o resto da minha vida sem ver o "incrível vídeo" da circuncisão do artista, assim como uma "soberba" pintura de um pênis sendo enfiado na orelha de alguém como se fosse um piercing... Com certeza isso não me acrescenta nada, e não vejo arte e nem cultura nessa porcaria.
Ainda pior que as "obras" apresentadas são as notas explicativas das mesmas...

Como já disse, foram pouquíssimas coisas interessantes apresentadas na Bienal, sendo que a melhor coisa, sem dúvidas, foi a pomba que invadiu a sala onde o chão estava repleto de milho e teve seu banquete garantido.
(Thi! Obrigada pela companhia nessa viagem estranha ao mundo das artes, críticos e pseudo-intelectuais! Valeu também pelas gargalhadas! Beijos!)




Um comentário:

  1. Ép... Definitivamente, a Bienal se torna cada vez mais bizarra. Também tive a oportunidade de viver essa 'grande' experiência e concordo com o que a Tatiana disse no dia de nossa visita, "Eu me sinto humilhada olhando para todas essas 'obras de arte' porque não entendo nada. Devo ser muito burra, viu?".
    Mas não é de hoje que esse 'banho de cultura' acontece. Lembro-me bem quando tinha 15 anos e fizemos uma excursão à Bienal. Me deparei com uma sala enorme, decorada com velas por todos os lados e parafina escorrida pelas paredes e um caixão de vidro, enorme, que ocupava a sala toda. Dentro haviam dois pássaros mortos, já em estado de putrefação, que exalavam o cheiro inconfundível de morte. Detalhe: o caixão estava cheio de vermes.
    E ainda paguei para ver esse tipo de coisa. Por isso que nunca mais fui, até o dia que liberaram a entrada. Quando terminamos o passeio pensei que se tivesse pago para entrar, teria me arrependido amargamente.

    Lembrei de um filme: Pague para entrar, Reze para sair.

    Triste, viu???

    ResponderExcluir